7 passos para o redesign de um produto e um lançamento de sucesso

Para quem não tem experiência na área, o redesign de um produto pode ser uma possibilidade mais simples do que criar um novo produto do zero.

No entanto, embora haja diversas vantagens em fazer o redesign – em vez de criar um design novo –, essa percepção pode fazer com que o desafio seja mal interpretado.

Embora seja verdade que com o redesign você começa com uma base muito mais informada e estável, trabalhar com um produto existente e uma base de usuários existente traz seus próprios desafios.

Vamos investigar exatamente quais são esses desafios e analisar o processo de redesign etapa por etapa, desde o caso de negócio e a pesquisa dos usuários até o lançamento do design final.

1- Justificando o redesign de um produto

Como acontece ao criar um produto novo, para fazer o redesign de um produto você precisa de um forte caso de negócio para justificar o projeto.

De certa forma, é mais fácil criar um caso de negócio para um redesign do que para um novo produto, já que você já comprovou que o mercado existe, logo o risco é menor. Mas isso não significa que é fácil garantir os recursos e o apoio que você precisa para ver o projeto concluído.

Em algumas circunstâncias, as forças envolvidas podem considerar que não é uma prioridade investir mais em um produto de sucesso. Portanto, é preciso mostrar por que o redesign será capaz de fornecer um bom retorno sobre o investimento.

Também há um fator sentimental.

Às vezes, as pessoas simplesmente não querem que as coisas mudem em seus produtos favoritos.

O caso de negócio para o redesign de um produto precisa ser algo real que tanto os product owners quanto os usuários do produto sejam capazes de entender. Assim como os product owners, os usuários não costumam gostar de mudanças, principalmente mudanças sem um propósito claro.

Seja claro quanto às motivações por trás da mudança:

  • Problemas claros enfrentados pelos usuários que podem ser evidenciados;
  • Avanços tecnológicos que podem melhorar o seu produto de uma forma que atenda genuinamente às necessidades e aos desejos dos usuários;
  • Recursos fundamentais que os concorrentes estão oferecendo, mas você não está;
  • Queda na receita que o redesign pode resolver;
  • Mudanças em normas governamentais;
  • Potencial de expansão para novos mercados;
  • Uma necessidade de se alinhar com uma nova marca da organização.

O caso de negócio para um redesign deve sempre ser mais do que apenas “está na hora” ou “o produto está ficando um pouco ultrapassado”. Para investir recursos em um redesign, é preciso que haja um planejamento para o retorno sobre o investimento.

what is product redesign

2- Pesquisa e dados para o redesign

O caso de negócio para o redesign de um produto precisa se basear em evidências sólidas que podem ser obtidas por meio de uma pesquisa com os usuários e uma pesquisa dos concorrentes.

Em projetos de redesign, você geralmente já começa na frente em termos de informações e dados que você precisa para fundamentar as suas decisões.

  • Você já sabe quem são os seus usuários e tem uma boa noção dos usuários potenciais que poderiam usar o seu produto, mas por algum motivo ainda não estão.
  • Você sabe para que as pessoas estão usando o seu produto e o que os leva a fazer compras e upgrades no seu produto.
  • Você sabe quais recursos os seus usuários amam e usam regularmente, além de quais recursos são pouco utilizados ou estão faltando.
  • Você tem o feedback do que as pessoas gostam, o que mais elas querem ver, o que elas não gostam e o que elas acham que deveria ser corrigido.

Você realmente está em uma posição privilegiada quando se trata de dados e informações. Em vez de fazer suposições quanto ao que o mercado precisa e o que os usuários gostam, você pode trabalhar com dados sólidos.

Isso não significa que não será preciso fazer mais pesquisas – dos usuários e dos concorrentes –, mas você já está partindo de uma base sólida, o que lhe permitirá focar melhor a sua pesquisa e utilizar melhor os seus recursos.

3- Os detalhes

Embora o processo de redesign em si seja muito parecido com o processo de design, ele também tem seus próprios desafios.

Assim como um novo design, o processo precisa começar com a análise das necessidades do usuário e do negócio e com a definição das especificações para atender às necessidades. Embora essa parte do processo consiga aproveitar os dados sólidos que você tem à disposição, ainda há alguns desafios.

Muitas vezes, os membros da equipe já estão habituados com as ideias e recursos existentes, portanto pode ser difícil convencer as pessoas de que algumas mudanças são necessárias. Além disso, pode ser um grande desafio para algumas pessoas pensar fora da caixa quando as soluções já existem.

Priorizar as especificações também pode ser um desafio, já que pode ser tentador fazer mudanças e ajustes em cada parte do produto. No entanto, embora o redesign deva dar uma cara nova para o seu produto, ele não deve perder sua personalidade e a interface do usuário deve manter certas características.

Os usuários não podem achar que precisam aprender a usar o produto do zero novamente.

O mesmo processo iterativo usado para um novo design deve ser seguido, com os novos recursos sendo lançados em um ambiente de teste e avaliados regularmente com usuários reais. Essa parte do processo deve ser mais fácil, já que atualizar os recursos tende a ser mais rápido do que criar algo do zero – mas nem sempre, como qualquer um que já trabalhou com retrofit pode dizer. Você também tem acesso a usuários reais que você pode convidar para participar dos testes.

Com o redesign, você pode ficar tentado a pular alguns passos, mas isso nunca é uma ideia inteligente. Você ainda precisa ver como cada aspecto do produto se encaixa na jornada do usuário e no ciclo de vida do produto. É incrível como um pequeno ajuste é capaz de causar um impacto tão grande.

how to redesign a product

4- A mesma coisa, só que melhor

Os produtos que precisam de um redesign geralmente não precisam ser completamente reinventados.

Produtos populares que precisam de redesign devem ter melhorias, mas devem continuar sendo reconhecidos. É fundamental manter esse princípio ao longo de todo o processo de redesign.

Todos os recursos principais que os usuários mais amam, a menos que tenham passado por uma grande reformulação, devem estar onde as pessoas esperam e funcionar de forma bem parecida. Os usuários não podem ter dificuldade para encontrar e usar tudo o que eles tanto amam no seu produto atual.

Fazer uma transição perfeita de dados e preferências de personalização de uma versão do produto para outra também deve ser uma prioridade. Nada irrita mais os clientes e faz com que eles considerem abandonar um produto do que ter que reinserir seus dados.

5- Lançamento

Embora um redesign não precise necessariamente do mesmo tipo de marketing pesado usado em um produto novo, seu lançamento deve ser planejado com cuidado e delicadeza.

Redesigns são feitos para melhorar os produtos para os usuários, mas os usuários nem sempre gostam de mudanças nos seus produtos favoritos ou de ter que reaprender a usar suas ferramentas favoritas.

Se o processo não correr bem, você corre o risco de alienar e perder usuários. Quando tudo é feito corretamente, o lançamento de um redesign é uma oportunidade de voltar a engajar os usuários, incentivá-los a investir mais e até mesmo levá-los a recomendar o seu produto para outras pessoas, aumentando a sua base de usuários.

Para ter um lançamento de sucesso, é bom começar com um soft launch, lançando o produto apenas para usuários selecionados que poderão testá-lo antes de ser liberado para toda a comunidade.

É muito mais fácil gerenciar as expectativas de early adopters quando eles estão cientes de que estão usando uma versão beta do produto. Contanto que os problemas identificados sejam resolvidos, eles provavelmente ficarão felizes com o produto final quando ele for lançado definitivamente no mercado.

6- Onboarding

Quando se trata de um lançamento completo, o fator mais importante a ser considerado é o user onboarding.

Como você vai atrair a atenção dos usuários para os novos recursos e mostrar a eles como usá-los de uma forma rápida, informativa e nunca condescendente?

Sobretudo, a mensagem principal que os usuários devem receber ao serem informados sobre um redesign é que se trata do mesmo produto, só que melhor, e que há benefícios específicos para eles. Na mensagem de anúncio, você deve dar destaque a um ou dois benefícios interessantes, como acesso offline, dados mais seguros, melhor identificação ou pesquisa aprimorada.

O guia do produto deve levar os usuários diretamente para os recursos mais importantes que eles querem conhecer. Ajuda e tutoriais adicionais devem estar visíveis e acessíveis para todos os usuários para ajudar a suavizar a transição.

Criar, gerenciar e atualizar o conteúdo de um fluxo de user onboarding é uma responsabilidade a mais para a equipe de desenvolvimento e requer tempo e recursos para fornecer bons resultados.

Você e os seus desenvolvedores podem se livrar desse fardo usando um software de user onboarding no-code como a UserGuiding, que conta com diversos recursos e um analytics detalhado.

Experimente a UserGuiding gratuitamente hoje mesmo.

Todos os mesmos princípios de um bom user onboarding para produtos novos devem ser aplicados para um redesign. Leia o nosso guia de como estruturar uma experiência de user onboarding de sucesso.

Também é importante garantir que o período de transição para os usuários seja flexível.

Se uma pessoa depende de um produto para fazer um trabalho importante, é improvável que ela queira aprender um novo design no meio de uma etapa importante desse trabalho. O ideal é que os usuários tenham algum tempo para escolherem quando as mudanças serão aplicadas para eles; dessa forma, eles poderão aprender sobre o novo produto quando for mais conveniente.

Se você está trabalhando com produtos mais complexos ou mudanças funcionais significativas, pode ser uma boa ideia permitir que as pessoas alternem entre as versões nova e atual do produto durante um período para que o trabalho delas não seja prejudicado pelo redesign do produto.

7- Continue atualizando

Por fim, você deve sempre lembrar que o lançamento de um redesign não é o fim da linha.

Quando novos recursos são lançados, é comum que novos problemas e possibilidades apareçam. Portanto, o lançamento não é a hora de fazer uma pausa, mas de começar a prestar ainda mais atenção.

É muito provável que você identifique alguns ajustes e pequenas melhorias que deverão ser lançadas como atualizações em um futuro próximo. O trabalho nunca termina.


Perguntas Frequentes


✏️ O que é o redesign de um produto?

O redesign de um produto se refere ao processo de recriar um produto ou fazer mudanças significativas nele que alterem a experiência do usuário.


⌛️ Quando eu deveria começar a considerar o redesign de um produto?

Se você tem dados que indicam que o valor do seu produto aumentará depois que fizer as mudanças necessárias, então o redesign do produto é aceitável.


❓ O que eu deveria priorizar durante o redesign de um produto?

Você precisa focar em fazer rapidamente o onboarding dos usuários após o lançamento do redesign para que eles possam retomar suas atividades sem perder o interesse no seu produto.

Junte-se a mais de 10 mil equipes que já estão criando experiências melhores

Teste gratuito de 14 dias, com mais 30 dias de garantia de dinheiro de volta

Share this article:

Alican Bektas

Alican is the Product Manager of UserGuiding, a code-free product walkthrough software that helps teams scale user onboarding and boost user engagement.