Estratégia de Produto – O que é, exemplos e como criar a sua

Quer saber como criar uma boa estratégia de produto?

Estratégias de produto são importantes para qualquer empresa que queira crescer e ter sucesso.

Elas podem levar ao aumento da receita, aumento da fidelidade dos clientes e melhorar o negócio como um todo.

Uma boa estratégia de produto ajudará você a tomar decisões sobre tudo, incluindo modelos de preços, recursos dos produtos, campanhas de marketing e muito mais.

Sem um plano para os seus produtos, é muito provável que os clientes em potencial nem se interessem por eles, o que significa menos vendas e mais tempo desperdiçado com experimentos. 

Não importa se você está apenas começando ou se já tem um produto estabelecido, toda empresa precisa de uma boa estratégia de produto para ter sucesso.

Vamos explorar o que é uma estratégia de produto e como você pode criar uma para a sua empresa.

O que é uma Estratégia de Produto

Uma estratégia de produto é um plano de alto nível que descreve o que uma empresa deseja alcançar com seu produto e como pretende fazer isso. Sua estratégia de produto é um roteiro para criar um produto ou recurso. Ele lista todas as tarefas que a sua equipe deve realizar para atingir as metas da empresa.

Esse documento servirá como um guia para sua equipe, e ele servirá de referência sempre que houver alguma dúvida.

Na verdade, 70% das empresas consultam sua estratégia de produto ao tomar decisões importantes. Como resultado, é essencial desenvolver um plano detalhado e abrangente para garantir que cada tarefa seja executada corretamente e no prazo.

A estratégia de produto descreve como um dado produto pode ajudar a empresa. Ela explica o problema que o produto resolverá, bem como o efeito que ele terá sobre os clientes e os negócios.

Com uma estratégia clara em mãos, você poderá fornecer uma definição clara do produto que pretende desenvolver e quando.

Uma estratégia de produto serve como uma referência para você avaliar o seu sucesso antes, durante e depois da produção.

Uma estratégia de produto eficaz consiste em três pontos-chave. Vamos analisar cada um deles com mais detalhes.

Visão do produto

visão do produto explica quem usará seu produto e como isso afetará o seu negócio. A visão do produto enfatiza seus compradores-alvo, como você posicionará seu produto e como ele competirá com outros produtos em sua categoria.

Uma estratégia de entrada no mercado, que descreve as necessidades de seus consumidores e como você produzirá uma oferta interessante, também deve fazer parte da sua visão do produto.

Objetivos do produto

Sem objetivos claramente definidos, é impossível desenvolver uma estratégia de produto.

Estes são objetivos específicos ou benchmarks que você pode atingir como resultado da construção do seu produto. Eles fornecem orientação para a sua equipe de desenvolvimento e ajudam você a medir o sucesso assim que o produto for lançado.

Ao definir os objetivos, é crucial definir prazos para que você tenha um senso de urgência quanto a eles.

Ao adicionar uma restrição de tempo ao sucesso do desenvolvimento de um produto, os objetivos se tornam ainda mais importantes.

Iniciativas do produto

As iniciativas são temas de alto nível que devem ser implementados para atender às metas de negócios e incluídos no roteiro do produto (roadmap).

Estamos falando de objetivos grandes, portanto a equipe de produto deve dividi-los em partes menores e mais gerenciáveis.

Agora que esclarecemos a anatomia da estratégia do produto, você já deve estar familiarizado com os principais componentes que entram na concepção de um produto. No entanto, a maneira de usar essas informações pode variar dependendo do produto em que você está trabalhando e das expectativas dos gerentes.

Exemplo de Estratégia de Produto

exemplos de estratégia de produto

Desde o lançamento do primeiro calçado em 1971, a Nike é amplamente reconhecida por seus produtos inovadores.

Em 2005, a empresa assumiu um grande risco ao lançar o Nike Free, um novo conceito de calçados.

Muitos funcionários estavam preocupados que a aparência ousada e distinta dos tênis de corrida talvez não atraísse seu público-alvo.

No entanto, a Nike superou as expectativas criando uma campanha de produto e marketing que fez um sucesso inesperado entre seus clientes, tudo graças a uma estratégia de produto muito bem pensada.

Vamos dar uma olhada na estratégia da Nike para garantir o sucesso do Nike Free.

Visão de mercado do Nike Free

A visão de mercado da Nike se baseou em “tecnologia natural”, conforme descrito por sua equipe de pesquisa. A ideia era desenvolver um tênis de corrida que fosse inovador e familiar para o consumidor.

Como resultado, a equipe de estudo conduziu pesquisas com treinadores de atletismo para descobrir quais eram as necessidades de seus atletas.

Eles acabaram na Universidade de Stanford, onde o treinador fazia seus atletas correrem descalços. 

Embora isso fosse contra a visão tradicional da Nike, era exatamente o tipo de inovação que a equipe de produtos precisava para poder criar um produto verdadeiramente revolucionário.

Objetivos do produto do Nike Free

A Nike precisava definir os objetivos do seu novo tênis após determinar a visão de mercado e o market fit.

O produto também precisava de um diferencial que o destacasse; ele precisava fazer os atletas correrem mais rápido do que nunca.

A Nike fez dez homens e mulheres correrem descalços para conseguir isso. A equipe de pesquisa usou câmeras de alta velocidade e sensores de pressão nos pés dos atletas para registrar exatamente como o pé reagia enquanto eles corriam descalços.

Usando essas informações, a equipe de desenvolvimento de produtos se propôs a criar um tênis que imitasse os movimentos vistos no vídeo.

Iniciativas do produto do Nike Free

No entanto, antes que a equipe de produto pudesse começar a trabalhar, eles precisavam estabelecer algumas iniciativas para o produto. Como o produto não pareceria um tênis de corrida típico, eles tinham que provar que os atletas iriam comprá-lo. Assim, a equipe de marketing foi chamada para abordar as principais preocupações das partes interessadas em relação ao design do produto.

Embora o tênis ajudasse os atletas a ter um melhor desempenho, a equipe de marketing da Nike achava muito arriscado contar com o fato de que os consumidores trocariam de tênis. Em vez disso, eles decidiram educar os consumidores sobre os benefícios que o produto poderia lhes dar durante o treinamento e, portanto, posicionaram o produto como uma ferramenta de treinamento.

Como resultado, a Nike conseguiu encontrar a melhor maneira de aliviar a pressão do discurso de venda e comunicar melhor a proposta exclusiva do produto.

Tipos de Estratégia de Produto

Estratégia de foco

Se sua empresa possui uma ampla base de clientes, o ideal é desenvolver um produto que atenda a uma única persona.

Esta é uma abordagem bem-sucedida, uma vez que se concentra nas necessidades de um grupo específico de pessoas e desenvolve uma solução personalizada para elas.

Quando se trata de adquirir novos clientes, esta é uma maneira perfeita de construir fidelidade à marca.

Estratégia de custos

O objetivo da estratégia de custos é criar o melhor produto possível com a menor quantidade de dinheiro possível. Ela avalia os recursos disponíveis e decide onde o dinheiro pode ser poupado durante o processo de fabricação.

Trata-se de uma boa técnica para compras de baixo envolvimento, como materiais de limpeza.

A maioria de nós não pensa sobre essas coisas quando fazemos compras, afinal todos os produtos lá são exatamente os mesmos e não sentimos qualquer sentimento de fidelidade em relação a uma determinada marca. 

Nesses setores, se você puder produzir um produto mais barato que o de seus concorrentes, o sucesso será garantido.

Estratégia de diferenciação

Quando se trata de diferenciar um produto, o preço não é tudo.

Há diversas outras formas de fazer um produto se destacar em um determinado setor.

Talvez seja um item de alto valor feito com um material da mais alta qualidade. Ou ele pode ter características inovadoras.

Seja qual for a estratégia, ela se concentra em dar ao seu produto uma personalidade que o torne memorável e agradável para os seus clientes.

Como criar uma boa Estratégia de Produto

como criar uma boa estratégia de produto

Não é fácil desenvolver uma estratégia de produto. Isso implica analisar a fundo o produto ou a ideia e fazer ajustes no processo de design no momento certo para ajudar a direcionar o design do produto.

Cada produto é único, logo é difícil ter um guia único para desenvolver qualquer tipo de estratégia, mas posso dar algumas dicas muito importantes para ajudá-lo nesse processo.

Aqui estão nove dicas para ajudar você e a sua equipe a desenvolver uma boa estratégia de produto.

1. Identifique o seu público-alvo

Uma das razões mais comuns para o fracasso de uma startup é a falta de market fit.

Muitas empresas esperam descobrir sua estratégia depois de lançar um produto no mercado.

Como resultado, elas enviam um produto e só depois avaliam sua eficácia

E isso raramente dá certo. 

Por serem construídos sem uma sólida compreensão do público-alvo, há milhares de produtos no mercado que ainda estão à procura de clientes. Em geral, são produtos criados para resolver problemas que não existiam.

Como os produtos são usados por pessoas, é sempre uma boa ideia priorizar os usuários e suas necessidades.

É por isso que, muito antes de começar a criar um produto, é preciso ter uma compreensão profunda dos desejos e necessidades do seu público-alvo.

Isso crucial se você espera oferecer algo que agregue valor às vidas das pessoas.

A pesquisa dos usuários deve ser uma parte importante do ciclo de vida de design e desenvolvimento do produto; isso pode ajudar você a entender o que seus usuários em potencial precisam.

  • Para entender melhor quem são seus clientes e o que eles querem, conduza estudos de campo e entrevistas com usuários.
  • Use essas informações para criar personas, que são modelos de pessoas que representam diferentes tipos de usuários com base nas informações mais relevantes coletadas dos diferentes usuários-alvo.
  • As personas que foram bem pesquisadas servirão como representantes do usuário.

As equipes de produtos geralmente criam personas descritivas e não preditivas. 

Personas preditivas tornam o design do produto muito mais fácil porque ajudam as equipes de produtos a entender não apenas o que seus clientes gostam e não gostam, mas também o que leva uma pessoa a se tornar um cliente.

2. Entenda o problema

Em uma estratégia de produto, a definição do problema é essencial. O produto deve ajudar os clientes a resolver seus problemas.

Você não deve apenas definir o problema, mas também determinar se vale a pena resolvê-lo; ou seja, se seu público-alvo realmente precisa de uma solução para esse problema e está disposto a pagar por isso.

É importante saber o motivo pelo qual você deseja criar um produto em primeiro lugar (os motivadores do negócio) e avaliar suas decisões de produto em termos do valor que eles fornecem aos seus clientes (potencial de conversão).

3. Defina a visão do produto

A estratégia de produto define a jornada de um produto. E como em qualquer jornada, você deve ter uma ideia clara de onde deseja chegar. Muitas equipes de produto acreditam que a visão do produto e a estratégia do produto são a mesma coisa, mas não são.

A visão é uma inspiração para desenvolver um produto; a estratégia é um guia de como fazer isso corretamente.”

A razão pela qual você está criando um produto em primeiro lugar é por causa de sua visão, que é uma visão definitiva de onde a empresa está indo. Portanto, o norte da sua empresa se transforma em uma visão de produto claramente definida. Isso ajuda todos a ver o quadro geral ao trabalhar em um produto.

Aqui estão algumas coisas que você deve ter em mente ao definir a visão do produto:

  • Estabeleça as metas de longo prazo. Quando você tem um objetivo de longo prazo inspirador, fica fácil criar uma visão (ou seja, como será o produto em dois ou três anos).
  • Uma visão deve ser motivadora, e é crucial obter a adesão emocional dos membros da sua equipe quando se trata de motivação. 
  • Também é crucial definir a sua visão do produto e garantir que todos na equipe estejam alinhados. Muitas empresas usam vídeos para esse fim por ser muito mais fácil comunicar uma mensagem dessa maneira.

4. Defina o estado atual e a condição-alvo

como criar uma boa estratégia de produto defina metas

Para muitas empresas, existem dois estados que podem ser definidos:

  1. Estado atual: o estado atual da experiência do seu produto
  2. Condição-alvo: a melhor experiência do usuário possível

A visão ajuda a definir um destino (condição-alvo).

Ao se concentrar exatamente no que você precisa criar, será possível planejar o caminho rumo ao destino desejado. Você pode mudar a direção dos esforços do seu produto definindo uma meta (desafio).

Antes que a sua equipe comece a trabalhar no projeto, é importante dedicar um tempo analisando, medindo e quantificando os desafios.

5. Declare os princípios de design do produto

É arriscado tomar decisões sobre os produtos. Não importa o quanto você tente, sempre haverá algum nível de dúvida em suas decisões. No entanto, adicionando uma ferramenta básica, porém eficaz – os princípios de design de produto – você facilita muito o processo de tomada de decisão. Os princípios de design de produto ajudarão a definir o que significa um bom design no seu negócio. Princípios claramente estabelecidos refletem a filosofia de design do produto e são genuínos.

“Direcionamento no lugar de escolha” é um dos princípios de design do Medium. Durante a criação da plataforma, a equipe de design do Medium aplicou esse princípio. Eles trocaram intencionalmente orientação e direcionamento pela interface do usuário (layout, tipo e opções de cores).

6. Mantenha a sincronia com as outras equipes

Não importa o quão bom é o conceito do produto se ninguém ouviu falar dele. A estratégia do produto deve ser formulada como resultado da colaboração multifuncional entre as equipes principais da empresa, como design, desenvolvimento, marketing e equipe de vendas.

Você deve esperar a mesma resposta de todos na sua empresa quando perguntar o que está construindo e por quê.”

7. Mantenha o foco

Antes de começar a trabalhar em uma solução, você deve primeiro entender completamente a experiência final que deseja criar.

Este é um movimento que muitas empresas ignoram.

Embora entendam o problema, elas acreditam que adicionar mais recursos ao produto o tornaria mais valioso para o público-alvo. Como resultado, elas continuam adicionando muitos recursos desnecessários e mal desenvolvidos, o que compromete a experiência do usuário – esse efeito é conhecido como fluência de recursos na indústria de software.

Quando a Apple lançou seu primeiro iPhone em 2007, ele tinha apenas alguns recursos, mas todos foram muito bem implementados.

Copiar e colar, um dos recursos mais importantes hoje em dia, não estava presente na primeira edição do iPhone. Como o recurso de copiar e colar não alcançou a experiência mínima esperada pela equipe, ele não foi incluído no produto final.

Em vez de lançar um recurso com bugs, eles lançaram o iPhone sem esse recurso e só o adicionaram quando atingiram os padrões estabelecidos para a experiência do usuário.

As equipes de produto devem entender que uma estratégia de produto bem-sucedida envolve mais do que apenas lançar um grande número de recursos.”

8. Defina métrias de sucesso

Definir a direção por si só não basta; você ainda precisa acompanhar a velocidade com que está se movendo em direção ao objetivo final.

As métricas permitem que uma equipe acompanhe seu progresso e avalie seu desempenho.

Sugiro começar com os OKRs – objetivos e resultados-chave – se você estiver em busca de conselhos práticos sobre como escolher as métricas certas. Neste modelo, os objetivos são o que você quer que o seu negócio alcance, enquanto os principais resultados são como você pretende medir esse objetivo.

Quais números mudarão como resultado?

Os objetivos devem ser inspiradores e os principais resultados devem ser mensuráveis.

9. Execute a estratégia

Você não será capaz de estabelecer uma estratégia de produto ideal logo no início se não tiver as informações mais relevantes em mãos.

Além disso, você não será capaz de desenvolver um plano de produto ideal se não tiver todo o conhecimento necessário.

No entanto, começar com objetivos claros e a vontade de tentar coisas novas o ajudará a traçar uma estratégia bem definida.

Olhe para a sua estratégia de produto como um organismo vivo e respiratório que evolui em conjunto com a sua empresa.”

Comece com o básico e vá trabalhando nisso. Quanto mais cedo você receber o feedback sobre a sua estratégia de produto após o lançamento, mais rápido poderá implementá-la.

Também é necessário ter uma revisão abrangente da estratégia do produto. Após entender melhor o que funciona e o que não funciona, revise suas métricas e ajuste as táticas.

Conclusão

Lembre-se: a experiência do usuário é moldada pela estratégia do produto.

Para justificar as escolhas de experiência do cliente, a estratégia do produto deve ser a sua principal ferramenta. Qualquer projeto de produto deve começar com uma definição da experiência que você deseja que os seus clientes tenham com o produto ou serviço em questão.

O objetivo final da estratégia do produto é fornecer os recursos certos com a experiência de usuário certa para as pessoas certas.

Junte-se a mais de 10 mil equipes que já estão criando experiências melhores

Teste gratuito de 14 dias, com mais 30 dias de garantia de dinheiro de volta

Share this article:

Mert Aktas

Mert é o Gerente de Marketing da UserGuiding, um produto de user onboarding no-code que ajuda as equipes a escalar o user onboarding e aumentar o engajamento dos usuários.