Os melhores livros de design de produto entre 2010 e 2020 (um por ano)

Criar produtos é o emprego dos sonhos de muitas pessoas, e provavelmente é o seu também.

Não importa o seu nível de experiência e conhecimento em design de produto, todos nós podemos obter uma nova perspectiva em relação ao design. Para ajudar você nesse processo, eu reuni alguns livros que considero extremamente úteis para o design de produto.

O que apresento aqui não é apenas uma simples lista de leitura de Design de Produto. O que estou tentando fazer é criar uma lista de leitura que lhe forneça perspectivas únicas da década mais inovadora que a nossa área já viu: 2010-2020. Eu escolhi um bom título de cada ano, totalizando 11 livros; alguns você já deve conhecer, outros talvez não.

O objetivo é informar e preparar você melhor para a próxima década.

Vamos começar do começo:

2010 – Storytelling for User Experience: Crafting Stories for Better Design 

por Whitney Quesenbery e Kevin Brooks

Você poderia pensar que o lugar do storytelling no repertório do Engenheiro de Usabilidade é natural. No entanto, como a maioria dos profissionais de usabilidade possui uma formação de engenheiro ou cientista, o processo de desenvolver uma história em torno do seu processo/produto pode não ser tão simples assim. A maioria dos engenheiros se interessa por dados e números, e não pelas partes mais sensíveis do storytelling.

Os Designers de Produto nos anos 2020 estão extremamente familiarizados com as histórias de usuários.

Todos nós temos métodos baseados nelas. Nós as usamos para formular e articular ideias para novos recursos de softwares de modo que diversos profissionais diferentes acompanhem o processo. No entanto, no início da década de 2010-2020 os designers de produto ainda estavam receosos, pois o mundo ainda não havia avançado para o próximo paradigma tecnológico de UX.

Este foi o ano do nascimento do iPad, entre outras coisas, mas fundamentalmente foi quando o grande gap entre os consumidores e os produtos de tecnologia começou a diminuir a um ritmo que ninguém nunca havia visto.

E na vanguarda estavam as histórias de UX.

É claro, hoje em dia há ‘um app disponível na nuvem e em tempo real para tudo’, e ainda há muita coisa vindo por aí, mas em 2010 os meios de conexão entre as pessoas que usamos hoje ainda estavam engatinhando.

Esse livro não foi um grande sucesso ou um best seller do The New York Times, mas, para designers de produto, esse livro nunca perdeu sua importância. Você terá um guia bem estruturado de como melhorar no design de produto por meio da arte e ciência do storytelling, com uma certa inclinação para o UX design.

  • Capítulos 1-5: na primeira seção você terá toda a base apresentada em termos importantes e relevantes até hoje. Na verdade, as críticas recentes consideram a obra tão boa quanto as críticas de cinco anos atrás ou mais.
  • Capítulos 6-10: esses capítulos apresentam as questões práticas de utilizar histórias de UX bem formuladas.
  • Capítulos 11-16: em conjunto com as duas primeiras seções, é aqui que as pessoas fora do design de software e de produto encontram valor no vasto conhecimento de storytelling do autor.

A leitura realmente fornece um background e um contexto de por que o Design de Produto e o UX são uma parte tão importante do processo hoje em dia.

Veja na Amazon.

2011- Comece pelo porquê: como grandes líderes inspiram pessoas e equipes a agir

por Simon Sinek

“As pessoas não compram o que você faz, elas compram a razão pela qual você o faz.

Este é um livro controverso que possui mais de 13 mil críticas das mais variadas na Amazon até hoje; tanto negativas quanto positivas. Após ler algumas centenas delas, você verá que elas se resumem a dois pontos principais:

  1. Você pode pular as 256 páginas (na edição em papel) e apenas assistir ao TED Talk original que viralizou no canal no YouTube do TED, intitulado “Simon Sinek: Como grandes líderes inspiram ação”. Também há os que dizem que o livro é extremamente útil, mas poderia ter sido significativamente condensado.
  2. Para o restante, essa obra é uma forma inovadora e inspiracional de se revigorar com a ideia de que, para obter sucesso, você precisa ter um sólido Porquê.

Para Designers de Produto como nós, simplesmente ter um Porquê não é o bastante. Não baseamos as estratégias UNICAMENTE no ‘Porquê’, mas isso pode nos ajudar a manter a perspectiva, que é a coisa mais fácil de se perder.

Para alguns de nós, manter o foco na razão principal de um produto ou na ideia do produto pode ser desafiador. Muitas vezes acabamos nos perdendo nas minúcias das tarefas mais metódicas. Talvez o TED Talk do Sinek inspire você a ler o livro, assim como um mar de gente na nossa área, e lhe dê alguma ideia de por que essa década se desenvolveu dessa forma.

Veja o livro na Amazon.

2012 – Scrum essencial: um guia prático para o mais popular processo ágil

por Kenneth Rubin

“Este livro aborda NÃO SÓ o básico, mas também lhe fornece uma explicação do framework para que você possa começar a aplicar os princípios do scrum com os seus times e projetos. É um manual EXCEPCIONALMENTE bem escrito de como atuar e garantir que você está adicionando valor aos seus times.”

Ah, SCRUM; aprenda-o, ame-o, viva-o.

Você conhece um único Designer de Produto sério que nunca nem ouviu falar desse framework voltado para que times adaptáveis lidem com problemas adaptáveis? Embora não seja a única abordagem possível, o SCRUM ajuda incontáveis organizações a permanecerem produtivas, informadas e a darem aos clientes produtos criados com o máximo de valor possível.

Se você sente que poderia se aperfeiçoar ou simplesmente gostaria de ter este guia sempre à mão no seu e-reader, você não vai se arrepender dessa compra. O Scrum Essencial é fundamental para qualquer coleção pessoal de livros de práticas ágeis.

Veja na Amazon.

2013 – UI is Communication: How to Design Intuitive, User Centered Interfaces by Focusing on Effective Communication

por Everett N. Mckay

Este livro ignora todo o ruído do setor de UX e apresenta um claro plano de ação para criar um produto do zero. Como um fundador independente, eu achei este livro bastante prático e consegui avançar rapidamente com o meu projeto.

Em poucas palavras, se você gosta muito de livros de UX ou está em busca de um bom livro que trate do assunto – aqui está!

Embora ele não tenha críticas tão boas e seja um pouco caro, McKay entrega uma discussão profissional, ponderada e fundamental sobre UI design. Para Designers de Produto, as ideias apresentadas são inestimáveis.

Veja na Amazon.

2014 – HOOKED (ENGAJADO): como construir produtos e serviços formadores de hábito

por Nir Eyal & Ryan Hoover

“Sem medir palavras, este livro vai realmente mexer com a sua cabeça; e a nova era de empresas como Facebook, Twitter, Instagram, Pinterest, Amazon e Google também. A ideia central é jogar jogos mentais e mantê-lo viciado nos serviços gratuitos oferecidos por essas empresas e, basicamente, mantê-lo preso neste jardim cercado, e sem o seu consentimento.”

Se você já trabalhou em um produto com elementos de gamificação ou se gamificação já fez parte da sua carreira – ou talvez você mesmo esteja preso nesse vício induzido pela gamificação –, então você provavelmente já possui esse livro. Com base na crítica que incluímos acima, e este é apenas um trecho, você já sabe que é um assunto delicado.

Por que as redes sociais são tão viciantes?

Por que as pessoas checam seus celulares milhares de vezes por dia?

Por que apps de jogos são monetizados dessa forma?

Por que tantos tipos diferentes de opções de SaaS hoje em dia possuem elementos de gamificação?

Se quiser saber por que e de onde esse tipo de coisa veio, leia o Hooked!

Em resumo, o Modelo Hooked (gamificação básica) funciona assim:

  1. Gatilho: algo precisa acionar os sistemas visuais baseados em recompensas da gamificação. Pode ser fazer o login ou criar um avatar. Seja o que for, o ‘loop’ precisa ser iniciado. A partir dali, tudo se torna uma série de passos e gatilhos repetidos.
  2. Ação: agora que os usuários estão no loop, que recompensa fácil você pode dar a eles por usar os gatilhos? Que estímulos simples você pode dar a eles a um nível emocional/psicológico? E estamos falando do cérebro reptiliano, não da parte racional da sua mente. É daqui que vem o Tweet, ou a Curtida, ou o upvote, etc. Se você está no mundo do SaaS, você provavelmente aplica alguma versão disso.
  3. Recompensa variável: como os usuários são recompensados pelas suas ações? Amigos. Seguidores. Compartilhamentos. Cores chamativas, medalhas, dinheiro, admiração, sons de comemoração, e assim por diante.
  4. Investimento: Ah, não! Para aumentar a dose, ou para garantir o mesmo prazer de sempre, agora você precisa pagar. Após dar esse passo, você entra em um novo loop ou experimenta mais uma camada de Gatilho-Ação-Recompensa variável-Investimento.

Se você nunca teve o privilégio de ser exposto a esses autores e ao seu trabalho e você é um Designer de Produto, não preciso nem dizer que esse livro vai abrir a sua mente, melhorar a sua carreira e mudar a sua vida.

Veja o livro na Amazon.

2015 – The Best Interface is No Interface: The simple path to brilliant technology

por Golden Krishna

Este livro essencial será provavelmente o marco na história em que diremos ‘BASTA!’ para toda a saturação de telas e iniciaremos uma convivência mais profunda com a tecnologia.

Kevin Farnham, fundador da Method

Na metade da década, para qualquer startup a ideia de “…sair da rotina do design ruim, incompreensível e frustrante…” era primordial. Se você representava um produto que tentava ter um design inovador e que fosse além dos limites, então você estava tentando derrubar muros incrivelmente resistentes. Por conta dessa incrível explosão na tecnologia ao longo dos primeiros cinco anos da década, uma grande estagnação era inevitável!

Aparentemente, design demais… PODE… ser algo ruim. 

A concorrência do cenário digital de 2015 estava levando tudo ao extremo.

Se você precisa de uma proposta filosófica, inteligente e divertida de como sair dos padrões do design, esse livro é perfeito para você.

E não, não é um guia. Ele não tenta dar dicas, ensinar a programar ou algo do tipo. Ele não vai lhe dar um método para avançar na sua carreira no Design de Produto, mas ele é capaz de fornecer um bom conhecimento e ideias que você pode usar para alimentar o designer rebelde dentro de você por décadas, ou ao longo da sua vida!

Veja na Amazon.

2016 – Sprint. O Método Usado no Google Para Testar e Aplicar Novas Ideias em Apenas Cinco Dias

por Jake Knapp, John Zeratsky e Braden Kowitz

“Entre no design delimitado do Sprint. Como definido neste livro, o Sprint fornece, de maneira altamente estruturada, um foco extremamente nítido para definir o problema, gerar opções de solução, decidir o que explorar, construir um protótipo e, por fim, testar o protótipo com clientes reais suficientes para obter um feedback valioso e aprender.

–  Peter Hundermark

Estamos falando, é claro, do processo de sprint da Google Ventures, criado por Jake Knapp.

Se você já se envolveu com uma equipe de inovação de produtos estratégica ou com uma incubadora de startups, então provavelmente já implementou elementos desse sistema. Embora haja conexões e relações com o framework SCRUM convencional, o Sprint permite que você vá direto para a prática, valide rapidamente e produza resultados.

Aviso: a maioria das pessoas sugere que você contrate um mentor capacitado para ajudar a implementar um Sprint pela primeira vez!

Veja o livro na Amazon.

2017 – Hacking Growth: a estratégia de marketing inovadora das empresas de crescimento mais rápido

por Sean Ellis & Morgan Brown

Em um cenário de negócios cada vez mais errático, onde novos concorrentes podem surgir do dia para a noite, a fidelidade dos clientes pode mudar de forma inesperada e os mercados estão sempre sendo afetados, encontrar soluções de crescimento rapidamente é crucial para sobreviver. Hacking Growth fornece uma resposta convincente para essa necessidade urgente de velocidade, oferecendo às empresas uma metodologia para encontrar e otimizar novas estratégias para aumentar sua participação no mercado rapidamente.”

De muitas formas, os Designers de Produto se tornaram Hackers de Crescimento. Essa tendência começou a realmente ganhar momentum na segunda metade da década, quando o cenário mais competitivo saiu completamente do controle.

Desde então, esse livro e o movimento de hackers do crescimento ficaram MUITO famosos. Não significa que você não encontrará vários tesouros nessa obra original. Como os Designers de Produto estão na vanguarda da construção de conexões entre produtos e pessoas, essas ideias de antigamente são verdadeiros instrumentos de trabalho.

Veja na Amazon.

2018 – Creative Selection: Inside Apple’s Design Process

por Ken Kocienda

Ame-o, odeie-o ou, bem, talvez você nem o conheça direito… mas um dos legados mais importantes de Steve Jobs é ter sido um herói dos Designers de Produto:

Ele tornou o design na tecnologia moderna interessante antes de ser interessante; uma inspiração de designers e equipes de startups para ignorar o status quo e REALMENTE focar no produto.

Não apenas no produto, mas no usuário. Assumir o papel do usuário realmente como um método de atuação.

Esse livro apresenta uma visão interna, que vai muito além dos holofotes, durante os dias de glória da Apple enquanto eles desenvolviam o que se tornaria uma das tecnologias mais revolucionárias da humanidade: o iPhone. Ken Kocienda trabalhava como engenheiro e designer na Apple há 15 anos, logo você terá uma perspectiva inestimável e de diversos ângulos de como uma das maiores empresas do mundo desenvolve seus produtos.

Para os mais nerds e conhecedores da Apple, esta é uma visão exclusiva da “2ª Era de Steve Jobs” que vai convencê-lo a não tentar emular o que a Apple fazia. Guarde os guias. Ignore os blogs de tecnologia famosos. Saia do mainstream das startups e mude o seu foco… para o produto!

Veja na Amazon.

2019 – Change by Design: How Design Thinking Transforms Organizations

por Tim Brown

É a introdução mais fundamental a Design Thinking feita por um dos designers mais relevantes dessa área. Não é um guia de Design Thinking. Não é um conjunto de ferramentas. É uma visão geral que apresenta a mentalidade e o objetivo dessa estratégia revolucionária para a geração de problemas e resolução de problemas.

– Crítica de um leitor.

Não é preciso ir muito além disso – se você se considera parte do público de ‘Design Thinking’, ou o termo faz parte do seu vocabulário regular, então você já deveria ter lido esse livro.

Tim Brown, CEO da IDEO, que basicamente criou o conceito, escreveu a maior parte dessa obra em 2009. Desde então, ela foi revisada e atualizada. No entanto, muitos dos exemplos originais continuam lá, o que dá um toque atemporal ao livro; sem dúvida é uma parte da história da nossa área.

Veja na Amazon.

2020 – From Chaos to Concept: A Team-Oriented Approach to Designing World Class Products and Experiences

por Kevin Collamore Braun

Se você for mais novo nessa área, basta seguir o livro e você estará no caminho para o sucesso. Para profissionais de UX experientes, as diversas dicas e exemplos servem para confirmar suas próprias experiências e trazer novas perspectivas.”

Para 2020, escolhemos algo que acabou de ser lançado e já está sendo muito bem recebido.

Quando se trata dos diversos passos envolvidos na criação de produtos SaaS, o autor faz um trabalho ágil e refinado ao tratar de planejamento, design de produto, desenvolvimento, métricas, testes e fases de iteração.

Está em alta na Amazon!

Conclusão

Que forma mais incrível de repassar a década de 2010-2020, partindo do UX design clássico e indo até as perspectivas de ‘From Chaos to Concept’. Eu espero que você tenha gostado desta lista e que tenha se interessado em ler pelo menos algumas das obras aqui apresentadas.

Dê o próximo passo: As 16 melhores ferramentas para Designers de Produto


Perguntas Frequentes


Como eu posso me tornar um designer de produto?

Para se tornar um designer de produto, você precisa entender o básico da área – os livros desta lista são ótimos – e também aprimorar suas habilidades com cursos e empregos para iniciantes.


Como eu posso me aprofundar em design de produto?

A melhor forma de entender os fundamentos do design de produto é ler os livros que listamos neste artigo, escritos pelos melhores designers de produto da nossa geração.


Como eu posso criar um novo produto?

Você pode usar ferramentas como Sketch, Adobe XD e Figma para criar um produto. Mas, para criar um “bom” produto, você deve primeiro compreender o básico de design de produto.

Junte-se a mais de 10 mil equipes que já estão criando experiências melhores

Teste gratuito de 14 dias, com mais 30 dias de garantia de dinheiro de volta

Share this article:

Alican Bektas

Alican is the Product Manager of UserGuiding, a code-free product walkthrough software that helps teams scale user onboarding and boost user engagement.